♪ Crazy - Simple Plan

22 de março de 2011

Se achar confuso, não ligue: é um desabafo.

Às vezes nem eu me reconheço. Se num instante sou a pessoa mais legal do mundo, no outro sou só uma chata que ele quase não suporta. Se mais cedo eu estava feliz, agora já não consigo conter as lágrimas diante da pessoa pra quem eu queria ao menos parecer bem. Se ontem eu estava bonita querendo me esbarrar com ele por aí, hoje eu só quero distância do espelho e das pessoas pra ninguém ter que observar tamanha feiúra. Se eu queria até agora viver intensamente cada momento, a partir de agora eu quero que o tempo corra enquanto eu estou dormindo, pra não correr o risco de fazer mais uma besteira na frente dele.
O que está acontecendo comigo? Eu não consigo nem mais disfarçar que alguma coisa não está me fazendo bem. Eu já nem consigo ser a pessoa que eu era há poucos instantes atrás. Ele hoje já não me vê da mesma forma que via ontem. Não, não sou uma pessoa inconstante, nem bipolar. Também não sou uma desmemoriada que esquece quem é a cada hora ou a cada dia. Não, eu não sou mentirosa, eu não finjo ser alguém que eu não sou.  Em mim existem duas e não uma única pessoa: a pessoa que eu sou por fora e quem eu sou dentro de mim. E às vezes elas se misturam.
A pessoa que eu sou por fora é forte, determinada, feliz, engraçada, às vezes parece meio louca, com aquela loucura gostosa de quem gosta da vida, das pessoas, das coisas, independente de como elas sejam. A pessoa que eu sou por fora agüenta uma barra pesada sorrindo e ainda se oferece pra ajudar os outros. Essa pessoa parece não ligar pros problemas, parece não ter medo de errar e até não se arrepender de nada do que faz. É alguém que sorri pro mundo e que gosta de ver o mundo sorrindo. É a pessoa ideal. A pessoa que ele gostaria de ter por perto sempre. A pessoa que ele gosta. Aquela pessoa legal, que não deixa transparecer interesse além da conta, que é amiga de todo o mundo do mesmo jeito, que o trata como se ele fosse apenas mais um amigo. E tem tantos amigos! E a pessoa que eu sou por fora é quem eu deveria ser. O tempo inteiro.
Já a pessoa que eu sou por dentro não é tão forte como aparenta. É sensível, sonhadora, confusa, boba, e chora por muitas vezes se ver sozinha e pequena diante de problemas enormes. Ela precisa de ajuda, de carinho, de um amigo. É uma pessoa que se ilude fácil, que acredita nas pessoas que com a mesma facilidade que confia se decepciona. É uma pessoa que erra, que sofre, que não nega que fica mal muitas vezes pra fazer alguém se sentir bem. A pessoa eu que sou por dentro é alguém que se entrega a um sentimento sem medir as conseqüências. Alguém que vive se machucando pelas mesmas pessoas, pelas mesmas ilusões e por ilusões novas também. Essa pessoa é alguém que ele não acharia legal, alguém de quem ele se afastaria e alguém por quem ele indiscutivelmente não iria se interessar. E a pessoa que eu sou por dentro é quem eu não deveria deixar aparecer. Definitivamente.
Mas pessoa que eu sou por dentro não se contenta com o espaço que tem, e tenta a qualquer custo aparecer, gritar por socorro, pedir ajuda, mas por ela não saber como sair de mim, sai pela metade, me confunde, confunde quem me vê. Quando quem eu sou por dentro consegue uma brecha, me faz parecer outra pessoa, falar coisas que quem eu sou por fora jamais falaria... Então ele não me reconhece, não vê em mim quem eu era e já não me trata mais como me tratava antes, não faz questão da minha companhia, nem entende direito o que eu falo. A pessoa que eu sou por dentro faz a minha vida desandar...
Verdade. Ele é o meu ponto de referência para eu saber algo sobre mim. E talvez ele não saiba, mas enquanto a pessoa que eu sou por fora some, a que eu sou por dentro tenta avisá-lo que há em mim um sentimento forte, por ele.  Mas o que quem eu sou por dentro não sabe que ele pode não querer saber e que se eu estou sufocando esse sentimento é para não correr o risco de vê-lo se afastar. E quem eu sou por dentro se nega a aceitar que se quem eu sou por fora perder ele, ela (a de lá de dentro) vai perder também.
E nesse momento quem eu sou por dentro resolveu se unir a quem eu sou por fora e concordar que as duas pessoas que eu tenho em mim, juntas, estavam precisando desabafar.

14 comentários:

  1. Muito bom, descreveu coisas que tocam o coração... *-* E que venham muitos desabafos mais, pra sempre ter textos incríveis por aqui :P

    ResponderExcluir
  2. wow, Maay.. muito bom !
    você escreve muuito bem *-*

    ResponderExcluir
  3. Mayê!!
    Seu texto saio cm sempre uma perfeição!
    Ñ sei se posso comentar o q ficou subtentido nas entrelinhas, mas em todo caso, acredito q vc ñ deveria se cobrar tanto ao ponto d ignorar seu outro "eu", sendo q ele tb faz parte d vc! Creio q ninguem é feito apenas de benignidades ou caracteristicas fantásticas, todos têm seu lado meio "obscuro". Nós q somos obrigados a conviver c essas duas vertentes, temos q sempre manter um equilíbrio e quem esta a nossa volta, especificamente as pessoas q veneramos, têm q procurar respeitar e entender q ninguem é perfeito! Pq o q leva a vivencia entre as pessoas ñ sao seus pontos positivos ou negativos, mas o sentimento q existe entre elas...

    ResponderExcluir
  4. quem foi esse anonimo de cima? :O aushauhsuahs

    gosteei do comentario. acho que sei quem foi

    ResponderExcluir
  5. Muitoo booom liindaa ! E que venham mais textos incríveis por aquii :*

    ResponderExcluir
  6. Ta lindo May ! Achei bem sua cara...mostra bem como vc eh ! :D

    ResponderExcluir
  7. puxa may...
    gostei muito...
    parabéns...^^

    ResponderExcluir
  8. Gostei bastante... as pessoas que estão ao nosso lado tem que aprender a gostar de nós não apenas nos momentos em que somos legais mas tbm quando estamos nos sentindo tristes e talz... afinal ninguem eh perfeito neh?!
    Parabéns pelo texto...

    ResponderExcluir

"Eu escrevo para nada e para ninguém. Se alguém me ler será por conta própria e auto-risco.! {Clarice Lispector}

Mas se você gosta (ou não) do que escrevo e tem elogios ou críticas a fazer, o caminho é por aqui...